CARNAVAL PROPICIA AUMENTO NA DEMANDA DO COMÉRCIO

O Carnaval é uma festividade de dupla faceta. De um lado, há setores que o evitam, seja por questões religiosas ou por optarem por fechar as portas. No entanto, é inegável que o evento impulsiona a economia do país, gerando impactos positivos em diversas áreas. Em 2023, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a folia movimentou mais de R$ 8 bilhões no Brasil. Para este ano, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) projeta um faturamento até 15% superior ao do ano anterior. Em Rondônia, a estimativa é que o Carnaval de 2024 movimente R$ 56 milhões.
Além do impulso econômico, o período aquece a geração de empregos, com a criação de vagas temporárias para seguranças, profissionais de decoração, limpeza, animadores, cozinheiros e vendedores, sendo uma época especialmente vigorosa para o comércio. A CNC estima que o Carnaval de 2024 no Brasil resultará na geração de 70 mil empregos temporários, enquanto em Rondônia a projeção é de aproximadamente 650 empregos.
Para os pequenos negócios, o Carnaval representa uma janela de oportunidades. Microempreendedores individuais (MEI) e micro e pequenas empresas (MPE) estão se preparando para aproveitar as vendas durante o período festivo. É animador o fato de que o Visit Rio Convention Bureau prevê uma ocupação média de 87% nos hotéis da capital fluminense durante o Carnaval, de 9 de fevereiro a Quarta-Feira de Cinzas, 14 de fevereiro. Quanto aos pontos turísticos e passeios contratados, a plataforma Destino, integrando os serviços da cidade, prevê um aumento de 35% nas vendas em comparação ao Carnaval do ano passado.
O presidente da CNC, José Roberto Tadros, destaca que a economia deverá experimentar um aquecimento significativo, e os empreendedores poderão aproveitar a data para aumentar sua renda, pois “o Carnaval do Brasil é conhecido em todo o mundo. Devemos, com o significativo aumento da venda de pacotes turísticos, ter bem mais que os quase 6 milhões de turistas estrangeiros do ano passado”, ressaltou Tadros.

Raniery Coelho, presidente da Fecomércio-RO, salienta que o Carnaval, além de ser uma das festas mais tradicionais da capital do Estado, é também uma data ativa para a economia criativa, representando um patrimônio brasileiro com raízes históricas e um valor cultural significativo, principalmente através da música. Ele destaca que o período é benéfico para pequenos negócios que lucram nesse momento, enquanto muitos aproveitam a folia, outros optam por viagens para o interior, retiros espirituais ou descanso. “A economia está sempre girando em torno do Carnaval nesta época, gerando renda, emprego e impostos sobre esses serviços”, comentou Raniery.

O presidente reitera ainda, que durante o período de Carnaval, é importante esclarecer que o comércio funcionará normalmente, nos dias 12, 13 e 14 de fevereiro de 2024 serão considerados feriados apenas se houver uma legislação municipal que assim determine.

É importante ressaltar que em 2023, o Brasil recebeu um número de turistas internacionais quase equivalente ao período pré-pandemia de Covid-19. No acumulado dos 12 meses, registou-se a entrada de 5.908.341 visitantes do exterior, 3% superior à estimativa da Organização Mundial do Turismo (OMT), e 62,7% maior que o acumulado de 2022, quando o país recebeu 3,6 milhões de turistas. Em 2019, foram 6,3 milhões de turistas. Os dados são provenientes de uma parceria entre Embratur, Ministério do Turismo (MTur) e Polícia Federal (PF).

Deixe seu coméntário
Tags: No tags